Você é empreendedor ou empresário?

Já há algum tempo vivemos no Brasil um tempo de crescimento do chamado empreendedorismo.

Creio firmemente que o desenvolvimento econômico envolve diretamente, e não unicamente, o desenvolvimento da iniciativa privada principalmente no campo das pequenas e médias empresas. Elas são e serão uma grande base de desenvolvimento econômico e social da nação, juntamente com a educação.
 
Entretanto, por outro lado, temos estatísticas assombrosas como por exemplo: "1,8 milhão de empresas fecharam em 2015" ( Estadão 10 de Maio de 2016). Essas parecem estatísticas de guerra não apenas pela grandeza mas também pelo que elas significam ao olharmos mais detalhadamente para esses números.

Analisando o perfil da maioria das pessoas envolvidas nessa estatística, encontraremos pessoas dedicadas, esforçadas, trabalhadoras e que tem um sonho de terem seu próprio negócio. E que para a materialização desse sonho abrem mão dos seus empregos, investem suas economias, o seu FGTS e até mesmo os seus bens pessoais. Passados de 2 a 5 anos terminam por fechar os seus negócios.

E não apenas isso, terminam frustrados, decepcionados, abatidos, endividados, muitas vezes jurando jamais tentarem novamente, além de encontrarem grande dificuldade de recolocação no mercado de trabalho. E quando conseguem se vêm obrigados a aceitar uma posição inferior àquela da qual abriram mão inicialmente. O fator que eu quero destacar aqui neste momento é a diferença entre ser empreendedor e empresário. A falta desse entendimento pode ser um dos grandes responsáveis por esse cenário negativo descrito acima.

O empresário está mais relacionado a uma atividade profissional, uma função dentro da estrutura corporativa. É a pessoa que começa a sua atividade no início do período comercial, desenvolve uma série de tarefas administrativas e de gerenciamento mas ao final do período encerra suas atividades e como qualquer funcionário retoma sua vida pessoal.

Entretanto quando falamos de empreendedor falamos de caráter, de perfil, algo inerente, indivisível da pessoa. Ele sustenta esse posicionamento 24h por dia, 7 dias da semana. É aquele que se move por um sonho, por uma missão de vida. Sempre está a busca de atualizar sua função, seu trabalho ou a sua empresa às mudanças constantes que acontecem no mundo. Ele pode estar em férias, ou em um momento de descanso, mas permanece atento às oportunidades, ideias ou sugestões. Sempre motivado a buscar coisas novas permanece mergulhado nesses sonhos e disposto a materializar essas inovações.

O que vemos é uma grande distorção do conceito de empreendedorismo. Uma divulgação massiva e ilusória do estímulo ao chamado empreendedorismo, levando aquelas pessoas a um caminho perigoso de decepção. É necessário que se oriente sobre a necessidade de desenvolvimento de um caráter realmente empreendedor para que o sonho se torne um negócio de sucesso e uma realização pessoal. Caso não identifiquemos os elementos mínimos básicos do verdadeiro caráter empreendedor, essa pessoa deve ser desestimulada a enfrentar o mercado pelo alto risco de participar daquela grave estatística.

Creio que todos temos uma porção empreendedora, o que pode diferenciar é a disposição em desenvolver essa porção.

Percebam, temos empresários que não necessariamente são empreendedores, bem como temos pessoas que não são empresários movidos por um caráter empreendedor. Posso ter um gerente, ou um vendedor ou um colaborador da área de manutenção, apenas como exemplos, que são criativos, vivem a busca de soluções que busquem aumento de produtividade e diminuição de custos, inquietos, buscam novas ideias.

Busque desenvolver seu caráter empreendedor, desta forma você será sempre alguém de valor em qualquer posição da estrutura corporativa.
Top